fale conosco Fale conosco
facebook twitter youtube

 

04/04/2017
Reforma trabalhista e sindical: dobradinha para beneficiar o patronato



A+ A-
Tamanho da letra




Para Adilson Araújo, presidente da Central de Trabalhadores do Brasil (CTB) a reforma sindical de Temer é da mesma família das reformas previdenciária e trabalhista. “O propósito é divie fragmentar o movimento sindical para dificultar, ainda mais, a resistência ao golpe do capital contra o trabalho, que se realiza na liquidação de direitos históricos”, declarou.



Segundo o dirigente, a “dobradinha reforma trabalhista/reforma sindical” é o casamento perfeito para o patronato. “A primeira impõe a destruição de direitos e flexibilização/precarização das relações trabalhistas. A segunda garante a fragmentação do movimento sindical, reduzindo a capacidade de resistência e luta contra o retrocesso. Uma dupla estratégia na retirada de direitos”.



O ministro do TST que falou ao Estadão, defende um formato de contribuição que não seja obrigatório. Também ouvido pelo jornal paulista, o presidente da União Geral de Trabalhadores , Ricardo Patah, afirmou que se for assim ninguém vai pagar. João Carlos Gonçalves, o Juruna, secretário-geral da Força Sindical, afirmou que todos os trabalhadores se beneficiam da atuação do sindicato e não apenas os associados.



“Erra quem pensa que o sindicalismo fraco ajuda para a retomada da economia. Na verdade, acontece o contrário.” explicou Patah. O dirigente tratou com Michel Temer sobre o assunto, no entanto, disse que não havia garantias do Planalto. “Ele (Temer) me disse que não ia sancionar a terceirização, olha o que aconteceu.”



Nesta semana, a reforma trabalhista (Projeto de Lei 6787/16) realiza uma série de audiências. Temer quer aprovar a reforma ainda no primeiro semestre. O relator da reforma, deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), aprova o fim da obrigatoriedade do imposto sindical. As centrais prosseguem nesta semana com mobilizações para o dia 28 de abril, data da greve geral contra as reformas trabalhista e da previdência social.



Leia tambémJuruna sobre luta contra reformas: Nunca estivemos tão unidos Do Portal Vermelho com informações de agências



Fonte: Vermelho Portal 

Foto: Railidia Carvalho


 



2010-2017. Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados, Serviços de Informática e Similares do Estado do Ceará | Sede: Avenida Tristão Gonçalves, nº 1250 | Centro | Fortaleza - CE | CEP: 60.015-001 | Fone: (85) 3252-4771 / (85) 3048-1414
Código Sindical: Nº 914.005.436.02860-3 | Web site: www.sindpdce.org.br | E-mail: falecom@sindpdce.org.br
Atualizado pela Assessoria de Comunição do SINDPDCE, Wanessa Canutto, produzido por TEIA DIGITAL