fale conosco Fale conosco
facebook twitter youtube

 

04/01/2018
Os dez piores acontecimentos de 2017 que afetaram a vida do povo brasileiro




Foto: google imagem
A+ A-
Tamanho da letra
A continuidade do governo golpista de Michel Temer e seus parlamentares no Congresso é um dos pontos negativos neste ano.


A pergunta que persiste é: o que esperar de 2018?


A cada final de ano sempre se costuma fazer o balanço de avanços e atrasos na vida do povo. Mas neste 2017, cheio de acontecimentos memoráveis, está muito difícil selecionar.  


 


Sendo assim, sugiro que você também faça sua lista! Veja a minha lista, a ordem não importa muito…


 


10 - Paralisação da reforma agrária e das políticas públicas para a agricultura familiar e camponesa, com fechamento do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), sucateamento do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), a liberação de mais sementes transgênicas e mais agrotóxicos para envenenar nossos alimentos. Soma-se a isso, o projeto de vender nossas terras ao capital estrangeiro.


 


9 - A não penalização das empresas Vale S.A. e BHP Billiton, pelos crimes de Mariana (MG). Vale a lembrança de que tais empresas mataram 21 pessoas, devastaram um rio de 700 quilômetros, o Rio Doce, e atingiram a vida de milhares de pessoas entre os estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Até hoje as mesmas não indenizaram, nem repararam os prejuízos para o povo, e ainda querem ampliar a mineração na região.


 


8 - As manipulações e prepotências da dupla Dallagnol e Sérgio Moro, que ferem a Constituição e insistem em querer inviabilizar a candidatura de Lula, sem ter provas. Por outro lado, a manutenção da liberdade dos senhores Aécio Neves, senador Zeze Perella, José Serra, Ricardo Teixeira, Eike Batista, o banqueiro Daniel Dantas; apesar das evidentes provas de corrupção.


 


7 - A entrega para o grande capital privado e estrangeiro de nossas riquezas naturais, como o preá-sal, a mineração, a água; que deveriam ser utilizadas em prol do bem comum do povo brasileiro.


 


6 - A aprovação pelo Congresso do limite de investimentos sociais em Educação e Saúde. Mas, ao mesmo tempo, ampliação de gastos com juros de mais de 400 bilhões de reais do orçamento nacional para os banqueiros.


 


5- As práticas manipuladoras da Globo sempre enganando e mentindo para o povo. Ainda que agora tenha caído sua máscara ao ficar evidente o acordo de apoio ao governo golpista de Michel Temer em troca de polpudos recursos de publicidade.


 


4 - A chamada "reforma trabalhista", que retirou direitos históricos de cerca de 140 milhões de trabalhadores brasileiros, mantendo 20 milhões no desemprego e 22 milhões no trabalho precarizado, e sem nenhum direito previdenciário.


 


3 - O comportamento parcial e partidarizado dos membros do Supremo Tribunal Federal (STF), em especial o Sr. Gilmar Mendes, sempre atuando em favor dos interesses da grande burguesia.


 


2 - A foto maior da desigualdade social que apareceu na revelação de que apenas seis capitalistas ganham mais do que 102 milhões de brasileiros. E, entre eles, 25% dos domicílios não possuem nenhuma renda mensal.


 


1 - A continuidade do governo golpista de Michel Temer e seus parlamentares no Congresso.


 


Com tudo isso, a pergunta que persiste é: o que esperar de 2018?


 


Que o povo se mobilize, lute, se levante na defesa de seus direitos e dos interesses de toda nação. Que tenhamos eleições livres, democráticas e com a participação de Luiz Inácio Lula da Silva.


 


Abraços, nos veremos por aí, "nas ruas, campos e construções", como mandava o poeta Vinicius de Moraes!!!


 


Edição: Simone Freire


Fonte: Agência Brasil / Brasil de fato

 



2010-2018. Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados, Serviços de Computação, de Informática e Novas Tecnologias da Informação do Estado do Ceará | Sede: Avenida Tristão Gonçalves, nº 1250 | Centro | Fortaleza - CE | CEP: 60.015-001 | Fone: (85) 3048-1414 / (85) 3048-1403 / (85) 3048-1401 / (85) 3048-1410
Código Sindical: Nº 914.005.436.02860-3 | Web site: www.sindpdce.org.br | E-mail: falecom@sindpdce.org.br
Atualizado pela Assessoria de Comunição do SINDPDCE, Wanessa Canutto, produzido por TEIA DIGITAL